As Origens do Vale do Silício


11 de abril de 2016 | por SP Ventures

 
por SP Ventures
  11 de abril de 2016
 

A história do Vale do Silício mostra como um distinto grupo de empreendedores, apoiado por um seleto conjunto de investidores, foi capaz de transformar a vida humana em suas mais diversas interações. Hoje é praticamente impossível viver um dia sem depender de alguma tecnologia originada no Vale do Silício nos últimos 60 anos.
 
Na década de 1930, em um vale localizado ao sul da Baía de São Francisco (Califórnia – EUA), Frederick E. Terman, então Professor de Engenharia da Universidade de Stanford, conduziu uma série de iniciativas que o levaram a ser conhecido como “O Pai do Vale do Silício”. Filho de Lewis M. Terman – inventor da Escala de Inteligência Stanford-Binet, mais conhecida como Teste de QI –, Frederick ambicionava conectar a esfera acadêmica à empresarial, tendo o sonho de fundar um polo industrial em Palo Alto, nas redondezas da universidade.
 

Nota sobre Frederick E. Terman em publicação impressa da Universidade de Stanford.

Nota sobre Frederick E. Terman em publicação impressa da Universidade de Stanford.

 

O vale em questão era rico em silício, insumo fundamental na arquitetura de tecnologias elétricas que vinham sendo criadas na costa leste dos EUA à época. Por esse motivo, a região passou a ser chamada de Vale do Silício. Não obstante a abundância desta matéria-prima no local, até então a região era pouco relevante do ponto de vista de desenvolvimento tecnológico.
 
Em 1938, Frederick convenceu dois de seus ex-alunos de engenharia, William Hewlett e David Packard, a iniciarem uma fábrica em uma garagem em Palo Alto. O primeiro produto deles foi o oscilador de áudio – tecnologia que posteriormente seria utilizada pelos estúdios Walt Disney na trilha sonora do filme Fantasia. Nascia naquela garagem a Hewlett-Packard (HP).
 

William Hewlett e David Packard na garagem – 1939

William Hewlett e David Packard na garagem – 1939

 

Em 1956, Frederick atraiu outro icônico empreendedor, William B. Shockley. Dissidente da Bell Labs, Shockley foi o criador do transistor, tecnologia protagonista da revolução elétrica de 1960, cuja invenção rendeu-lhe o Prêmio Nobel de Física. Fascinado pelos métodos de mensuração da inteligência propostos pelo pai de Frederick, Shockley recrutou alguns dos mais brilhantes PhDs dos EUA por meio de rigorosos testes vocacionais para compor sua empresa em Mountain View – Vale do Silício.
 
Fundada em 1955, a Shockley Semiconductor Laboratory foi a primeira companhia de dispositivos tecnológicos de silício da região. Dentre os produtos desenvolvidos, destacavam-se transistores e diodos. Em 1957, todavia, em razão do comportamento paranoico e das práticas de gestão abusivas de Shockley, seus oito melhores empregados deixaram a empresa. O grupo foi chamado por Shockley de “Os Oito Traidores”.
 
Determinados a empreender e convencidos das vantagens proporcionadas pelo Vale do Silício – proximidade em relação à matéria-prima e à mão de obra altamente qualificada –, “Os Oito Traidores” lideraram em 1960 uma revolução tecnológica na região. Deste grupo surgiram os fundadores da Fairchild Semiconductor International, da Intel Corporation – responsável por criar o primeiro microprocessador –, da AMD e de outras organizações com papel crucial no boom tecnológico do Vale do Silício.
 
É inevitável notar, a ascensão do Vale do Silício está intrinsecamente relacionada ao Venture Capital, e vice-versa. No ínterim dos conflitos internos entre Shockley e seus funcionários, a equipe que mais tarde deixaria a companhia recorreu aos banqueiros Arthur Rock e Alfred Coyle – da Hayden, Stone & Co., de Nova York – em busca de apoio para migrar de empresa caso a situação com Shockley não se apaziguasse. Encantados com a equipe de prodígios tutelados pelo Prêmio Nobel, os banqueiros os convenceram a criar uma nova companhia em que eles seriam os sócios. Em 1957, Rock e Coyle captaram fundos com o executivo Sherman Fairchild e realizaram a primeira transação de Venture Capital do Vale do Silício. A operação deu origem à Fairchild Semiconductor, que contava com Fairchild, “Os Oito Traidores” e a Hayden, Stone & Co. como acionistas. A empresa produziu o primeiro circuito integrado comercialmente viável.
 
Por vários anos a Fairchild Semiconductor foi a líder isolada no mercado de semicondutores, alcançando a proeza de expandir seu faturamento de 8 para 30 milhões de dólares em um único ano. Na década de 1960, “Os Oito Traidores” novamente adotaram a estratégia de debandada e deixaram a companhia devido a divergências societárias com Fairchild. Desta vez eles seguiram rumos separados para iniciar startups de tecnologia na região.
 

Fotografia dos “Oito Traidores” no escritório da Fairchild Semiconductor – 1958

Fotografia dos “Oito Traidores” no escritório da Fairchild Semiconductor – 1958

 

Em 1968, dois dos “Oito Traidores” enviaram a Rock um Plano de Negócio de uma página – com espaçamento duplo e repleto de erros de datilografia – com o intuito de captar recursos para constituir uma nova empresa. Confiante do potencial dos empreendedores, Rock captou 2,5 milhões de dólares em um dia e meio para viabilizar a criação da companhia que viria a desenvolver o primeiro microchip, a Intel Corporation.
 
Os feitos de Rock chamaram a atenção de empresários de todo o país para a oportunidade de investir em startups tecnológicas. Dentre os executivos que deixaram suas carreiras para se juntarem à nova “Marcha para o Oeste”, destaca-se Donald T. Valentine, Diretor de Marketing da Fairchild Semiconductor que abandonou seu cargo para fundar a Sequoia Capital.
 
O primeiro investimento da Sequoia Capital ocorreu em 1975. Naquele ano, Valentine sondava a Atari, uma desenvolvedora de games para arcade que estava criando um console que permitiria que seu blockbuster, Pong, fosse jogado em casa. A companhia, no entanto, enfrentava dificuldades financeiras e seu fundador, Nolan Bushnell, era um sujeito controverso. Apesar dos pontos negativos, Valentine persuadiu outros dois investidores a completarem o ticket de 8 milhões de dólares necessário. O Home Pong foi o precursor da popularização dos consoles domésticos. Atualmente, cerca de um terço dos gastos de um americano-médio com entretenimento é direcionado para videogames domésticos.
 

Nolan Bushnell, apoiado à direita do modelo Arcade do videogame Pong, posa ao lado de seu co-fundador na Atari, Ted Dabney (à esquerda), do Diretor de Finanças e de engenheiro da companhia à época.

Nolan Bushnell, apoiado à direita do modelo Arcade do videogame Pong, posa ao lado de seu co-fundador na Atari, Ted Dabney (à esquerda), do Diretor de Finanças e de engenheiro da companhia à época.

 

Em 1976, um jovem funcionário da Atari exibiu a Bushnell um protótipo do que seria o primeiro computador pessoal da história. Na época, não havia mercado para a tecnologia e apenas técnicos em computação acreditavam na ideia de possuir um computador em casa. Bushnell declinou a proposta de 50 mil dólares em troca de um terço da empresa e sugeriu a seu empregado, Steven P. Jobs, que apresentasse a tecnologia a Valentine. Em 1977, Valentine se juntou a Rock e a um investidor-anjo para aportar cerca de 350 mil dólares na empresa de Jobs e seu colega, Steve Wozniak. Surgia a Apple, hoje a maior empresa de tecnologia do mundo, com o valor de mercado de cerca de 590 Bilhões de dólares – 23 de Março, 2016.
 

Steve Jobs palestra diante de fotografia dos primórdios da Apple, ao lado do co-fundador da companhia, Steve Wozniak, durante lançamento de nova versão do Ipad, em São Francisco, Califórnia – 27 de Janeiro, 2010

Steve Jobs palestra diante de fotografia dos primórdios da Apple, ao lado do co-fundador da companhia, Steve Wozniak, durante lançamento de nova versão do Ipad, em São Francisco, Califórnia – 27 de Janeiro, 2010

 

Embora o Vale do Silício seja mundialmente conhecido como o berço das maiores empresas de TI, seu impacto sobre outros segmentos tecnológicos foi igualmente relevante. No mesmo ano em que a Apple foi criada, o Dr. Herbert Boyer conduzia pesquisas em engenharia genética nos laboratórios da UC São Francisco. Os experimentos de Boyer para sintetizar hormônios humanos atraíram a atenção de Bob Swanson, da gestora Kleiner Perkins. Com o capital, parcerias e espaço físico oferecidos pela gestora, Boyer fundou a Genentech. A companhia foi a primeira a sintetizar insulina humana, marco histórico que possibilitou a criação de diversos medicamentos e a massificação do tratamento da diabetes. Em 2009 a empresa foi vendida para os laboratórios Roche por cerca de 47 bilhões de dólares. Em seus últimos anos de vida, Jobs se submeteu a testes na Genentech para diagnosticar seu câncer de pâncreas – contudo, devido a sua aversão a cirurgias, já era tarde demais para tratamento.
 

Dr. Herbert Boyer (Genentech) e Bob Swanson (Kleiner Perkins) – 1970

Dr. Herbert Boyer (Genentech) e Bob Swanson (Kleiner Perkins) – 1970

 

Na história recente o Vale do Silício tem sido frequentemente relacionado às Mídias Sociais. Em 2004, enquanto cursava Psicologia e Ciências da Computação em Harvard, Mark Zuckerberg criou uma rede social online exclusiva para os alunos da Universidade, denominada Thefacebook. Gradualmente a plataforma se tornou de acesso público. Aconselhado por Sean Parker – empreendedor que fundou o Napster e se tornara Presidente do Thefacebook na época –, Zuckerberg migrou para o Vale do Silício, aonde captou recursos com Peter Thiel, co-fundador do PayPal, e com a gestora Accel. Em uma passagem emblemática, Zuckerberg compareceu a uma reunião na Sequoia Capital atrasado e vestindo pijamas para expor uma apresentação intitulada “Top 10 razões para vocês não investirem em nós”. A brincadeira foi arquitetada por Parker, que teve um relacionamento anterior pouco proveitoso com a gestora. Hoje a empresa vale cerca de 220 Bilhões de dólares e é a maior Rede Social do planeta.
 

Mark Zuckerberg, em seu dormitório na Universidade de Harvard – 2004

Mark Zuckerberg, em seu dormitório na Universidade de Harvard – 2004

 

Passados mais de 80 anos, o polo industrial pensado por Frederick Terman assumiu proporções sem precedentes. Atualmente, cinco das dez companhias de tecnologia mais valiosas do mundo estão ali sediadas.

Tags:

Frederick Terman  Hewlett-Packard  Oito Traidores  Steve Jobs  Vale do Silício  
POSTS RELACIONADOS
Comente